Rede Saraiva

Editoras buscam " taticas" para salvar a rede de livrarias Saraiva

 

Depois de verem a Livraria Cultura pedir recuperação judicial, por conta de seu endividamento, as editoras estão empenhadas em evitar que a Saraiva siga o mesmo destino.

O entendimento do setor é que a Saraiva seria “grande demais para quebrar”. Mesmo após o fechamento de mais de vinte lojas na semana passada, a companhia ainda é a maior rede do país, com 84 unidades, e também tem uma venda forte pelo e-commerce. Hoje, a participação da Saraiva nas vendas de livros estaria em cerca de 30%. Logo, perder uma cadeia de distribuição desse porte poderia afetar o fluxo de caixa de curto prazo do segmento.

O problema agora seria definir uma forma de negociar os débitos sem necessidade de recorrer à recuperação judicial . Para evitar a recuperação judicial, no entanto, a Saraiva estaria pedindo cortes de quase 50% nos valores devidos e também um prazo longo para pagamento. Apesar da disposição das editoras em conversar – tanto para recuperar dívidas que se estendem por até dois anos quanto para evitar a falência de pequenos selos de livros -, esse não é o tipo de negociação que se resolva facilmente.

 

Fonte – www.veja.abril.com.br